Marcus Thiago, Advogado

Marcus Thiago

Belo Horizonte (MG)
0seguidor2seguindo
Entrar em contato

Principais áreas de atuação

Direito Tributário, 50%

É o segmento do direito financeiro que define como serão cobrados dos cidadãos os tributos e outr...

Direito Administrativo, 50%

É um ramo autônomo do direito público interno que se concentra no estudo da Administração Pública...

Comentários

(9)
Marcus Thiago, Advogado
Marcus Thiago
Comentário · há 3 anos
Não consegui alcançar a mesma conclusão da notícia por simples critério matemático!

A
CR/88 diz que não terá segundo turno apenas se algum candidato a presidência alcançar maioria absoluta mais um, ou seja, 51% dos votos válidos. Se 40% dos candidatos entrevistados votariam nela, ela precisaria ainda de mais 11%, o que seria uma baita margem de erro.

Isso é que eu chamo de tornar um resultado inconclusivo em noticia. Cabendo lembrar ainda que havendo segundo turno, vence o candidato com a maioria de votos, nesse caso, a notícia acima estima que juntando os votos de Aécio com Eduardo Campos não se alcançaria maioria em face do eleitorado de Dilma, bem diferente das projeções anteriores e improvável.

Recomendações

(6)
Jorge Luiz de Oliveira da Silva
Jorge Luiz de Oliveira da Silva
Comentário · há 3 anos
Cara Vanice. Morei em Belém, de 1984 a 1988, quando era Sargento da Força Aérea, e lembro-me dessas mortes. A condenação dos médicos, ao que tudo indica, pela leitura atenta de sua intervenção, trata-se de um dos erros mais lamentáveis do Judiciário. Mais ainda, quando, em regra, se adia uma audiência dessa magnitude, com tudo pronto, envolvendo os interesses já mencionados, por conta de "outros compromissos". Desconheço o contexto real do adiamento (em especial os motivos que o ensejaram). No entanto, hoje, como magistrado, penso que não se trata de descaso a ser atribuído ao Poder Judiciário, muito embora seja a faceta dele, enquanto Poder da República, que vem aos olhos do povo. O grande problema, sempre pensei eu, é que o Judiciário é encarnado e ganha alma por intermédio de seres-humanos, falíveis, em sua essência, como qualquer ser-humano. Porém, a falibilidade humana é aceitável. O que não pode ser aceitável é alguém, pelo simples fato de envergar uma toga, imaginar que não é um mero servidor do povo. É se postar como alguém acima da vida e da morte; é destilar arrogância e prepotência no exercício do mister que lhe é deferido. Infelizmente, enquanto magistrado que estou, vejo isso acontecer, para minha tristeza. Mas, também vejo colegas que diuturnamente se empenham ao máximo para prestar uma boa jurisdição, abdicando de momentos de lazer e companhia de sua família. Em homenagem a estes últimos, no rol dos quais humildemente me incluo, penso que podemos sempre identificar aqueles que não se preocupam efetivamente em prestar contas de suas obrigações para com a sociedade. Toda generalização é perigosa e apresenta o potencial de incluir na "vala comum" aqueles que não se enquadram na generalização. Um grande abraço.

Perfis que segue

(2)
Carregando

Seguidores

Carregando

Tópicos de interesse

(8)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros advogados em Belo Horizonte (MG)

Carregando

ANÚNCIO PATROCINADO

Marcus Thiago

Rua Nicarágua, 102, Sion, Belo Horizonte - Belo Horizonte (MG) - 30320-050

Entrar em contato